Início dos estudos ocultos de Isaac Newton - O primeiro contato com a Alquimia

Depois que Isaac decidiu se dedicar aos estudos de seu colégio, King's School, ele passou a se dedicar aos assuntos Bíblicos e de língua, que eram obrigatórios naquele tempo.

Porém, isso, nem de longe, satisfazia toda a vontade, curiosidade e desejo de aprender do jovem Isaac.
E foi nessa época que ele descobriu um dos assuntos que ele mais estudaria e se dedicaria por toda a sua vida.

O início de uma paixão perigosa

Como falamos em nosso artigo passado, sobre a ida de Newton para a escola, esta ficava muito longe do casarão da família Newton, inviável para que o pequeno Isaac fosse e voltasse todos os dias para lá.

A solução encontrada foi uma bem comum na época, morar como pensionista.
Newton foi morar com o boticário da cidade, o Senhor Clark, que tinha vários cômodos acima de sua farmácia, onde abrigava vários estudantes, todos os anos.

Isso simplesmente mudou completamente a vida de Newton.
Lá ele encontrou livros e mais livros, e a vasta experiência do boticário Clark.
Ao contrário dos estudos teológicos, que Newton já estudava com afinco pois era obrigação na escola, esses assuntos o jovem Isaac estudava por real interesse, foi fácil notar que ele amava aquilo.

Porém, o que Newton estudava, fazia e tanto se dedicava, era algo muito perigoso.
Era, e é, o que muitos considerariam de "oculto" ou "místico".
E se hoje isso ainda gera polêmica, imagine no século XVII.

Alquimia, Química ou Farmácia ?

Aliás, o que era aquilo que ele tanto se dedicava?
Incêndio no laboratório de Alquimia de Isaac NewtonIsaac estudava substâncias, experimentos, remédios, misturava líquido de vários frascos e fez muitas, muitas anotações mesmo...atualmente isso se aparenta muito com a nossa conhecida Química.

Porém, na época de Newton, costumava se chamar de Alquimia. Era um assunto bastante sensível, pois era visto por muitos como bruxaria, feitiçaria.
De fato, vários alquimistas foram condenados e jogados à fogueira por suspeita de magia negra.

O fato é que, independente do nome daquilo que Newton estudava, ele mergulhou nas fórmulas dos produtos químicos, substâncias, aprendeu a fazer remédios com o boticário, usava enxofre, mercúrio, aprendeu a fazer tintas a fermentar e outras coisas.

O mais interessante, e que poucos sabem, é que esse aprendizado e experiência ele levou para o resto da vida. Se juntarmos isso as habilidades que ele adquiriu de construir objetos e máquinas com suas próprias mãos e a sua capacidade autodidata, traçamos o futuro de Newton.
Sim, ele se dedicou a Alquimia pelo resto de sua vida, e o que mais assusta: ele se dedicou mais aos seus experimentos químicos do que ao estudo das ciências exatas (ou ciências naturais, como eram chamadas na época), que eram a Matemática e o que conhecemos hoje como Física.

Anotações e escritos de Newton

Uma das características mais marcantes de Newton era sua obsessão por registros.
Desde criança ele adquiriu o hábito de anotar tudo, tudo mesmo, principalmente aquilo que estudava.

Um de seus primeiros cadernos de anotações era o de seu padrasto, Smith, o pároco.
Newton chamava esse caderno de "Caderno do Lixo", pois, como pudemos perceber, ele não gostava muito do pároco.
Nele Isaac costumava até mesmo dizer como era seu dia-a-dia, o que fazia, o que pensava e os pecados que acreditava ter cometido.

Obviamente, quando foi para a escola isso se intensificou, afinal ele passou a ter mais contato com livros e pessoas com conhecimento.

Isaac Newton escreveu uma quantidade simplesmente absurda de anotações sobre Alquimia.
Ele escreveu e estudou tanto isso, que é possível afirmar sem dúvidas que o que mais Isaac Newton fez na vida foi se dedicar aos estudos da Alquimia e Química, graças aos inúmeros livros, escritos à mão, com sua minúscula letra, existentes até hoje.

0 comentários:

Biografia Isaac Newton é um projeto independente.
Para ajudar o trabalho, basta curtir nossa página no Facebook e clicar no botão G+1.

Contamos com seu apoio!