Catherine Storer - O primeiro amor de Isaac Newton

Neste texto dessa Biografia sobre Isaac Newton, iremos falar pela primeira vez sobre um dos temas mais obscuros, secretos, complexos e difíceis da vida deste gênio da ciência.

Não iremos falar sobre Cálculo Integral ou Binômio de Newton, grandes contribuições de nosso gênio para a Matemática. Também não trataremos suas Leis da Mecânica Clássica, nem da Ótica ou mesmo Alquimia.

O assunto mais misterioso e pouco conhecido de Newton é sua vida pessoal.

A vida pessoal de Isaac Newton

Uma das maiores características de Isaac, e de outros gênios, é, sem dúvidas, sua discrição.

Newton, durante toda sua vida, mesmo na adolescência, foi uma pessoa extremamente introvertida, quietada, calada e discreta.
Esse sigilo chegou a ser tanto que, várias de suas descobertas só foram reveladas ao mundo por insistência de pessoas próximas. E podemos ir além, provavelmente Newton não revelou diversos de seus estudos.

Muitos pesquisadores e especialistas tentaram, ao longo dos anos, entender o motivo de Newton ter sido tão recatado. A explicação mais próxima e aceitável foi o trauma do abandono, quando sua mãe o deixou para viver com seus avós para se casar e viver com outro homem, pois o pai de Isaac tinha morrido poucas semanas antes do menino nascer.

Em seguida, em Grantham, quando Isaac Newton começou a frequentar as aulas na King's School, ele descobriu gostar de coisas que não eram nada populares, como ler, criar máquinas e objetos de artesanato.

Na casa onde mora, do boticário da cidade Willian Clark, Newton descobriu livros e assuntos infinitamente mais interessantes que aqueles encontrados na escola (que eram de religião e línguas): ele passou a se dedicar ao estudo da alquimia, das substâncias químicas, remédios e fórmulas.

E isso ainda na adolescência. E convenhamos, praticamente nenhum outro jovem da idade de Newton gostava ou sequer se interessava por isso. Não é surpresa saber que Newton acabou por ser um jovem isolado, sem muitos amigos, já que ele também não gostava de coisas comuns que os jovens da época gostavam, como esporte.

Mas uma figura em especial chama bastante atenção nesta fase da vida de Newton, Catherine Storer.

A "namorada" de Newton

Newton e seu romance com Katherine StorerCatherine era enteada do boticário Clark, e irmã do brigão Arthur, vivia na mesma casa que Newton e muito se fala que eles chegaram a namorar, ou ter um romance.

Antes de dizermos isso é importante salientar o que é namorar, para a época.
Não era raro que o primeiro beijo ou relação mais íntima só ocorresse na lua de mel, diferente de hoje em que adolescentes já participam de festas e tem várias(os) parceiras(os).

Anos mais tarde, quando Newton já era bem famoso mundialmente, Catherine afirmou que Newton fora apaixonado por ela.
O que sabemos de fato é que eles foram muito próximos, muito amigos, e como já falamos várias vezes, Newton era uma pessoa bem isolada e discreta.

Eles costumavam passear e conversar, e mesmo quando Newton foi embora da cidade, voltou algumas vezes para visitar Catherine, além de ter escrito para ela quando foi para a universidade, como veremos mais adiante.
Quando Newton já era um homem rico (sim, ele foi muito rico), também chegou a ajudar Catherine, financeiramente.

Provavelmente Newton cogitou se casar com ela, pois era muito importante, socialmente falando, um homem ser casado. Além do mais, Catherine era uma jovem bonita, inteligente e Isaac adorava conversar com ela.

Pode parecer bobagem estarmos salientando esse amor "adolescente" e ingênuo, mas como veremos no decorrer da biografia, pouquíssimas foram as vezes que Newton teve contatos mais pessoais e muito menos emocionais.

0 comentários:

Biografia Isaac Newton é um projeto independente.
Para ajudar o trabalho, basta curtir nossa página no Facebook e clicar no botão G+1.

Contamos com seu apoio!